maio 20, 2005

Simplesmente...Doi


Doi...
Cá dentro,
Num lugar perdido algures no meu seio...
Doi...
Sem doer,
Neste corpo de alma cansada...

Dor incisiva
que corta sem rasgar,
que pulsa no meu peito em pesar ritmado...
incide
corta
rasga sem sangrar...

vai-se o sentimento,
foge o carinho,
perde-se o amor...
Caminho contigo
Caminho de mãos dadas,
Dois corpos lado a lado...
Nas penosas noites forçadas!

Enfim!
Carrego-te em meus braços
Para não ficar sozinha...

Fada_O

4 Recados:

Em 2:16 da manhã, Blogger Poesia Livre escreveu...

Rafita,
Um belo momento recheado de palavras que marcam tudo...

"Dor incisiva
que corta sem rasgar,
que pulsa no meu peito em pesar ritmado...
incide
corta
rasga sem sangrar..."

O meu obrigado em nome deste cantinho pela belissima partilha!
{{coral}}

 
Em 12:10 da tarde, Blogger Uma estrela errante escreveu...

Lindo poema!
Apesar da dor que transmite.

beijo meu

singularidade

 
Em 8:41 da tarde, Blogger Squeezy escreveu...

"Doi...
Cá dentro,
Num lugar perdido algures no meu seio...
Doi...
Sem doer,
Neste corpo de alma cansada..."

A dor do amor(e afins).. custa mt pois deixa-nos desgastados tanto fisica como mentalmente...

 
Em 6:12 da tarde, Anonymous Anónimo escreveu...

Gostei muito Rafaela...

Parabéns porque agora a beleza mais bela, nasce aí dentro...

O teu poema é belissimo.

Assin: Artur Rebelo (Versejador)

 

Enviar um comentário

<< voltar