maio 25, 2005

Sou um assaltante giro e insignificante.


Olhando para as páginas da minha vida.
A resposta está escrita nos meus olhos.
Por todas as palavras que eu não disse,
E todas as coisas que não fiz.
Todas as vezes que olho para as estrelas vejo algo novo.
Quero-te deitar numa cama de rosas.
Fecho os olhos e suspiro...
-Amor cego é verdadeiro.
Hoje á noite estarei sozinho,
Mas não significa que estarei solitario.
Sinto vontade de andar em circulos,
Mas tu pareces uma barreira,
Que não posso ultrapassar.
Meu corpo chora,
As lágrimas que podes enxugar!!!

"Se ser poeta é ser triste,
Então eu não sou poeta,
Sou o próprio poema".

Andy

2 Recados:

Em 9:08 da manhã, Blogger persephone escreveu...

Eu gosto imenso deste teu poema Andy:)
Está belíssimo:)

Um beijo, Rose**

 
Em 11:04 da manhã, Blogger Poesia Livre escreveu...

Sem dúvida um lindo poema...

Andy dos que enviaste ecolhi este...

Por talvez ser uma escolha minha tenho de pedir desculpa aos outros poetas deste canal. Mas de todos que enviaste escolhi este.

Quem me conhece um pouco sabe o porque de escolher este poema entre os outros que costumas enviar para o nosso blog.

Obrigado Andy por este belo momento de poesia.

Artur Rebelo (Versejador)

 

Enviar um comentário

<< voltar